17 abril 2014

Fluorescent Adolescent: 15 anos, 5 meses e 2 dias e Prazer, Isabella

Deu. Eu tô cansada de gente fingindo ser o que não é. 

Sabe aquelas coisas de "leve o tempo que precisar para descobrir quem você realmente é"? "Procure o seu eu interior"? OKAY, cansei: descobre logo. Já deu, pare de usar isso como desculpa para qualquer coisa.
Chegou a hora de se olhar no espelho e dizer "PRAZER". Encara quem tu é. Te ama, te curte e não te esquece. Quem é tu? 

Eu sei quem eu sou. Meu nome é Isabella Feldens Queiroz. Sou budista, preguiçosa para algumas coisas, empolgada para outras. Assisto 6 ou mais séries ao mesmo tempo, uns 3 episódios por dia, de cada uma das 6. Faço caretas toda hora, amo fazer planos impossíveis e sei dar cambalhota para trás. Meus irmãos são minha vida e meus pais são os "pais dos sonhos" de qualquer adolescente. Pelos meus cálculos, ainda vou ser uma péssima namorada de alguém, pelo fato de eu preferir fazer qualquer coisa com as minhas amigas e ninguém mais. Ah, minhas amigas: elas nunca vão sair do posto de coisa mais incrível da minha vida. 




To deixando as unhas crescerem, gosto de assistir filmes em inglês com legenda em francês e amo primavera. Eu não mato insetos, não consigo ver lixo fora do lixo e sim, eu incomodo tudo mundo por causa disso. Sou a pessoa mais insuportável da minha sala de aula, não sou a melhor aluna de matemática e sempre vou bem em redação. Falando em aula, eu amo meus colegas. Amo mais do que já amei e aindo vou amar muito mais do que amo. São eles que me conhecem como eu sou: chatinha, teimosa, frágil e cheia de piada idiota para contar.

Sim, posso ser estressada, às vezes metida e muitas vezes ignorante, mas quem me conhece sabe: tenho medo de ficar sozinha, nunca deixo meus amigos esquecerem que eu os amo, o pensamento positivo me domina e eu sempre acreditei que o bem vence de tudo. Tenho sonhos que não cabem em mim, e dito isso minha teoria é: alguém tem que ser o astronauta. A bailarina também, e alguém tem que ser o jogador de futebol. Não perco a chance de deixar recadinhos bonitinhos no facebook dos meus amigos, não consigo entender gente que está sempre procurando briga e nunca pensei que a vida poderia ser tão linda até eu começar a valorizar as coisas que tenho. 




Eu choro todas as vezes que recebo cartas e e-mails das tulistas e só meus amigos e família sabem como eu fico maravilhada com tudo isso de Feito de Tule pra cá e pra lá. Já gostei de muito menininho e já aprendi a não deixar isso tomar conta da minha vida. Estranhamente, sou muito insegura. Estou sempre procurando provas de quem me elogiou e têm vezes que eu gostaria que meus amigos entendessem que isso precisa de um pouquinho mais de atenção.

Eu sinto muita falta de quando meu irmão morava comigo e as vezes eu vou até o quarto dele para sentir o cheirinho de suas roupas. Amo conhecer gente nova, amo chá de gengibre com mel e mm's amarelos. Bacon em cubos, chettos da embalagem azul e omg vou parar de falar sobre comida.
Sempre uso "6 coisas" e não cinco ou três e isso não tem motivo. Ah, as 6 coisas mais importantes para mim? Minha família, meus amigos, minha turma, o Feito de Tule, ter sonhos e sushi.
Amo coisinhas inesperadas. Sabe, um "tu é demais" não esperado é bonitinho e pode mudar um dia. Tenho um cofrinho que mantenho desde 2009. Uma boa parte desse dinheiro tá indo pros EUA comigo, em julho, e outra parte é para o meu bom sushi de todas as noites.
Quando eu consegui me descrever em não tão poucas linhas como estas, minha vida melhorou.




É bom saber o que eu quero. Saber o que estou fazendo no mundo. Ontem mesmo eu falei para a minha amiga: meu, só faz aquilo que te agrada. E essa teoria é bem mais fácil de ser colocada em prática quando você, no mínimo, sabe do que gosta.

Não estou pedindo para você escolher ainda hoje seu curso da faculdade ou ser mais rápida na fila do subway. Não estou pedindo para você se tornar alguém que montou uma identidade e agora está decidíssima a jamais mudar. Só estou pedindo para você saber quem és, te aceitar e ser mais feliz.

Ser feliz é lindo. É barato e recompensador.

Prazer, Isabella. E você?

Sempre do meu jeitinho,
A Tulista.



8 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Hahaha adorei q apagou.. Vai contra teus próprios princípios! To só te alertando bella, não é um xingamento. Veja como critica construtiva: tu tá falando que é de uma religião sem ao menos saber do que ela se trata e como ela é regrada.. Acho que tu devia pesquisar o mínimo da religião antes de falar que exerce ela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não ia falar nada porque acho desnecessário ficar se explicando.
      Agora abre tua mente:
      Triste aquele que segue uma região e deixa isso ser o que te limita. Vejo tanta gente falando "não faço isso pq minha religião não permite". Sou budista e sei todos os princípios budistas, e isso eu não preciso provar pra ninguém. Mas, acima de tudo, eu continuo sendo eu. Como carne porque acredito na cadeia alimentar. E ah, mesmo me sentindo mal, eu gosto de carne. Escolhe o budismo e deixei ele entrar na minha vida exatamente por causa disso: existem os princípios, mas você pode fazer parte dessa filosofia de vida maravilhosa que ele é, sem ser obcecado ou doente por isso. Vejo muito católico fazendo sexo antes do casamento e não tô julgando.
      Quando eu li seu comentário eu ri, porque realmente é irônico! Como carne e sou budista. Mas aí quando eu vi tudo isso que você falou agora já me arrependi de ter me divertido com o seu comentário anterior. Não aponte coisas na vida dos outros sem saber. Não é porque falei umas coisas sobre mim nesse post, que agora você me conhece da cabeça aos pés.
      Não pense que é de hoje esse negócio do budismo e a carne.
      Eu sei dos princípios do budismo, mas acima de tudo sei dos meus.
      E ah, falando nessa filosofia: pra que atacar as pessoas como tu estás fazendo? Faz isso não, discutir sobre filosofias e religiões é tão mais legal quando as duas pessoa estão com a mente aberta e o humor melhor do que esse que tu apresentou :)

      Excluir
    2. Pessoas que criticam buddhistas que comem carne não compreendem a atitude buddhista com relação à comida. Um ser vivo precisa de alimento. Comemos para viver. Dessa forma um ser humano deve suprir seu corpo com o alimento de que necessita para se manter saudável e prover energia para trabalhar.

      Excluir
  3. QUE POST VIDA!

    ResponderExcluir
  4. Tbm acho importante nos encontrarmos e esse post ficou lindo, bela!

    ResponderExcluir
  5. http://www.amentemente.com/Textos/O%20Que%20O%20Buda%20Disse%20Sobre%20Comer%20Carne.html mente aberta

    ResponderExcluir
  6. EU AMO MUITO ESSE BLOG! VALE A PENA LER TUDO !! <3

    ResponderExcluir

Vale rir, chorar e opinar.