21 fevereiro 2014

Fluorescent Adolescent: 15 Anos, 3 Meses, 5 Dias e Muito Drama

Já me decepcionei com final de filme, com festas fracassadas e mentiras bem contadas.

Já fiz drama de bobagem e já fui de pedra. Fingi que nada de ruim acontecia e acabei quebrando a cara com o "fugir não é parar de sentir". É só... fugir.
Mas também nunca morri de dor, e muito menos tive motivos para isso. Já quebrei a unha, já fui iludida, já perdi amizades e já chorei muito. Mas tenho 15 anos, e o que faz tudo isso realmente ser relevante na minha vida, é o maldito drama.

Costumo passar a imagem de alguém sensata e que nunca corre o perigo de sofrer ataques adolescentes. Mas ok, eu ainda tenho o direito de me irritar por não ter alguém como o Harry Styles na minha vida, e ainda tem o direito de achar que nenhum guri é bom o bastante quando se compara ao próprio Harry.




Clarissa Corrêa já diria: 
"Andei pensando no quanto somos frágeis. Uma simples gripe nos torna fracos. Uma palavra mal empregada nos abate. Um abraço não dado nos faz sofrer. Um sentimento não vivido faz a gente perder a esperança. Tenho um pouco de medo da duração das coisas. Antes, eu acreditava no eterno. Mas depois de tantos percalços, tantas coisas perdidas e tantos nãos guardados no bolso eu já não sei mais. Não sei se ainda existe a sinceridade. No ato, no fato, no tato."

O meu otimismo não é persistente. Minha coragem não vem à tona com facilidade e não é sempre que eu consigo segurar o choro depois de ver o menino que eu gosto ficando com outra.
Já parei de me sentir inútil quando a maior prioridade do momento era escolher a roupa para a festa de sábado, ou com o pensamento "será que ele vai?". 






Somos jovens e ainda vamos nos machucar muito, e sobre isso eu já falei, e muito. Ainda morreremos de amor e conheceremos a dor. Mas enquanto a maior coisa que sentirmos é a dor da traição e ilusão, seja lá com amigas ou até com aquele guri, então que lidemos com os fatos e pronto. Pode ser pouco comparada com tudo o que ainda sentiremos, mas pode ser o pior que já passamos até agora, e nada que exista não teve a sua primeira vez.

Quando eu escrevi "aquele guri", te veio algo na cabeça, não veio? Te veio aquela pessoa que te fez contar os dias para as aulas começaram, ou para as férias nunca acabarem. Aquela pessoa que já te fez acordar rindo com uma mensagem idiota, aquela pessoa que você stalkeia a tarde inteira apenas para ver se não encontra uma indireta para você. Aquela pessoa que hoje você nem lembra o sobrenome. Você não cumprimenta, não escuta e não procura, mas ainda se importa. Aquela pessoa que te machucou, e aquela que quem machucou foi você. Alguém que hoje é o seu motivo para dizer "eu não preciso disso, eu tenho só 13, 15, 17 anos". 

É com essa pessoa que você fantasia o seu futuro pedido de namoro. É com essa pessoa que você fica sonhando no meio da aula de química, e é com essa pessoa que você queria estar. Ou até é com essa pessoa que você precisa conversar sobre tudo o que passaram.... Ou o que você gostaria de ter passado. Descobrir se isso tudo foi algo incrível e importante não apenas na sua vida, mas como na dela também.




Talvez seja essa pessoa que você "nunca mais quer ver", mesmo muitas vezes torcendo para a encontrar no meio da rua ou em um restaurante qualquer, só pra dar um oi. É aquela pessoa que te transformou na drama queen que és hoje, e é essa pessoa que fez isso com mais 10 gurias.

Tudo isso, todo esse sentimento e pensamento, todo esse texto para chegar a: lugar nenhum. Um ciclo que não acaba. Que sempre volta na sua vida, e enquanto esse for o maior drama de todos, vai ser dele que você vai se alimentar.

Mas tudo bem.
Fluorescent Adolescent é adolescente de verdade. Aquele que sente, chora, tem medo e se entrega até demais. Com medo, feridas e muito drama.
A incrível capacidade de transformar todas as coisinhas em histórias de vida.

Sempre drama queen,
A Tulista. 

5 comentários:

  1. É exatamente isso que eu estou passando :c

    ResponderExcluir
  2. Oi Isabella....(pausa para suspirar) Nossa menina, eu aqui tenho 19 anos, e vejo acontecendo tudo isso comigo as vezes, ou quase sempre hahah. As vezes penso que é besteira, que preciso crescer e parar de tanto mimi, pois eu já passava por isso quando também tinha meus 14, 15 anos. Ah que mania essa nossa de o tempo passar, mas ainda querermos reencontrar pessoas do passado. Tipo ontem encontrei um menino que eu fui tremendamente apaixonada no instagram, e claro que fui stalkear né. Hoje sou apaixonada por um amigo meu, mas é bem tranquilo, deixamos sempre fluir como deve ser, ele mora longe, mas fico me imaginando com ele, programas românticos, coisas básicas tipo aquelas fotos de tumblr rsrs. Enfim, acho que essa Fluorescent Adolescent durará por muitos anos, talvez pra sempre!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que atire a primeira pedra quem nunca cometeu algo como tudo isso!
      Tudo isso é normal do ser humano, como se fosse bem assim que toda a adolescência deveria ser vivida: cheia de "affff".
      <3

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir

Vale rir, chorar e opinar.