16 janeiro 2014

Em 2014 Eu Vou....

MUDAR.

Sabe o "ano novo, vida nova"? Tá na hora de ver os vários lados desse dilema que já tá mais do que ultrapassado. Sabe o pensamento de "só o ano que mudou, nós não"? Pare de usar isso como discussão de facebook e comece a ver a coisa toda como um ponto de partida. Mudar algo na sua vida no meio do ano pode ser complicado e meio sem compromisso, mas falar que no ano novo tudo vai ser diferente, é um bom plano pra quem realmente quer cumprir algo e precisa de um motivo para isso, como o fato de uma parte, um ano, de sua vida ter - finalmente- acabado.




Foi só na noite de ontem que eu tive a minha primeira parte das férias com as minhas melhores amigas. Sabe quando as pessoas mais especiais da tua vida te fazem lembrar o motivo de tu amar tanto elas? Essa foi a minha quarta-feira. No meio de fofocas sobre a cidade de 2 habitantes que eu moro, conversas sérias sobre vestibular, ensino médio, muitas fases perdidas no Jelly Splash e toda aquela coisa de "as meninas têm de parar de se sentirem pressionadas para fazer sexo só porque as amigas já o fizeram", eu coloquei à mesa a frase: "eu tive muita sorte de conhecer as minha melhores amigas antes das fases mais importantes da minha. Já pensou se eu tivesse que explicar para vocês cada errinho que eu cometi? Vocês não saberiam meus motivos da época e acabariam me julgando, mas agora vocês sabem que eu mudei e tudo mais, não é?" 
Acho que deveríamos ter parado pelo Jelly Splash, porque toda essa filosofia de mudanças da vida e novos anos nos levou a ficarmos acordadas até depois das 7 horas da manhã. Delícia dormir com sol no rosto.





Mas em voltas e voltas o ponto ao qual eu realmente quero chegar é: em 2014, experimente. Faça tudo aquilo que deveria ter feito em 2013 ou 2012 ou 2005. Faça as coisas que um dia você se deu o trabalho de colocar em uma summer list com a sua melhor amiga, faça as coisas que você falou que faria antes de que a vida acabasse. Não sabe por onde começar? Eu te ajudo com algumas dicas simples:

1. Coloca na cabeça: as suas fantasias podem se tornar realidade, então corre.

Tudo bem, se a maioria de suas fantasias serem no nível da minha sobre o meu namoro secreto com o Harry Styles, eu, nem você podemos fazer alguma coisa. Mas, pare de imaginar aquela vida que parece tão distante. Vocês tem alguma noção de quantas vezes eu deitei a cabeça em meu travesseiro e fiquei imaginando como seria ter uma vida de blogueira? E agora, mais do que de repente, já estou há um ano vivendo tudo.... isso. Então vai. Sem medo, sem pensamentos negativos. Cês não têm ideia de tudo o que o pensamento pode fazer. Ele nos constrói e nos leva longe. Não os use para destruir a ti mesmo.
Sonhem sonhem e sonhem, mas parem de viver passando mais tempo imaginando uma vida do que participando dela. 





2. Se ame mais.

Na minha casa, ao todo, devem ter mais de 30 espelhos por aí. E, alguns, são gigantes. É incrível o número de vezes que eu paro para me observar no caminho da sala até o meu quarto, que seja para insistir que meu cabelo não tem jeito algum ou para observar como a minha limpeza de pela quase diária está super adiantando.
Ali por 2011, eu tinha um problema sério de verão: por causa das férias, eu largava totalmente o negócio todo de vaidade. Eu não me arrumava muito e não me preocupava se eu estava com olheiras ou com o cabelo mais do desidratado. Isso acabava comigo. Eu evitava espelhos ou qualquer coisa que fazia reflexo, e acabei passando as férias dentro de casa assistindo Todo Mundo Odeia O Chris. Sdds 2011.
Não faça isso consigo mesmo. Saiba os limites: não vá se montar alá boneca em plenos quarenta graus do janeiro desse Brasilzão, mas também não vá encarnar a pior amiga de si mesmo.
O lance de se olhar no espelho é pelo seguinte: se descobrir. Descobrir o que você mais gosta em si mesmo. Observe seu nariz, queixo, cabelo, canelas e quadris. A única coisa que te incomoda é a barriguinha? Se é no nível insuperável, procure um exercício físico que possa ser feito com as amigas no meio de fofocas e se ligue na alimentação. É o cabelo? Ligue para o salão. Corte as pontas, faça um mecha, faça uma escova por um único dia. Faça alguma coisa que vá te dar motivos para se ver até no reflexo da tela do celular. Tipo quando você está indo para uma festa e se sente incrivelmente linda. Nada melhor do que repetir essa sensação, não é? Então vá se conhecer para descobrir como.

3. Ache tempo para si.

Se tem uma coisa que eu aprendi a superar é aquilo de se arrepender quando você decidiu ficar assistindo séries em casa do que ir até a casa da amiga onde está rolando aquela jantinha com toda a galera. Vá para as jantinhas, pra sorveteria e para o clube de piscina. Mas não se esqueça daquelas coisas que vocês gosta de fazer sozinha, que, no meu caso, é assistir seriados no escurinho enquanto como Pringles de cebola.
Escolha uma noite para virar sozinha e uma tarde para dormir por si só. Algumas horas para organizar o seu armário cheio de memórias totalmente jogáveis no lixo. Leia o final da série de livros que a sua tia foi tão querida ao te dar no amigo secreto natalino da família. Obrigada tia Fer. Leia a Capricho sem as suas amigas do lado para pedirem se podem ficar com os posts do meio da revista. Conte as moedas das suas economias para saber o quanto falta para sonhar ainda mais alto. Faça uma lista de metas mesmo sabendo que você vai demorar para cumpri-las ou até mudará a interpretação de tudo.




4. Perca os debates, mas não perca a essência. 

Ficou em 2009 a moda de concordar com os outros só para estar mais por dentro do "senso comum" que, pra mim, mais parece uma bagunça e total insanidade.
Não faça sinal positivo quando te perguntarem se você já viu aquele filme do Telecine só porque todo mundo falou que já tinha visto mais de 3 vezes. Não diga que concorda com o vegetarianismo só pra conquistar o sorriso inútil do menininho metido a hipster de quem você está afim, não finja não ler 5 livros por semana só para não parecer que você não está muito ativa na vida social nos últimos tempos. Não negue que você gosta muito de Lana Del Rey só porque disseram que era entediante. Opa, essa sou eu...
A moral é: uma relação recentemente iniciada se baseia, em uma grande porcentagem, nas coisas que os dois corpos têm em comum. A pessoa com que você está tentando construir uma amizade ou, mais do isso, quer TE conhecer. Não conhecer a pessoa que é o clone de todos os gostos dele.
Espere para encontrar sua "alma gêmea" em uma época que você está sendo sincera com a própria vida.

Em 2014 eu vou fazer todos os temas de história, vou gastar todo o meu dinheiro nos EUA, vou aprender a calcular quantos nuggets eu quero comer, vou esperar o meu celular carregar seus 100% antes de roubar ele da tomada, vou manter meu estojo limpo, vou focar no blog, ler jornal, demorar menos no banho, tentar subir no telhado da minha casa. Alguém podia anotar tudo isso para eu colar na porta do meu armário...

E como já disse o meu irmão:

EU 2014 EU VOU.

E você? Em 2014 vai o quê? Comente!

Sempre levando tudo muito a sério,
A Tulista.

2 comentários:

Vale rir, chorar e opinar.